Prefeito Zé Martins vai iniciar pavimentação asfáltica em bairros e povoados de Bequimão

Com verba do Ministério do Desenvolvimento Regional e contrapartida da Prefeitura de Bequimão, o prefeito Zé Martins vai aproveitar a estiagem das chuvas e iniciará os serviços de pavimentação asfáltica nos povoados Barroso e Paricatiua. O projeto visa ampliar os serviços para os bairros Estiva, Bairro de Fátima, Ferro de Engomar e Cidade Nova.

A pavimentação da Avenida Perimetral que liga o bairro do Balandro, passando por Santa Vitória até a comunidade Barroso também será concluída. Essa obra é uma emenda parlamentar do ex-deputado federal, Victor Mendes (MDB).

O valor destinado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional será de R$1.689.953,78 (um milhão, seiscentos e oitenta e nove mil, novecentos e cinquenta e três reais e setenta e oito centavos), que será implantado em pavimentação asfáltica, beneficiando milhares de bequimãoenses. Uma emenda parlamentar do ex-deputado federal, Sarney Filho (PV).

Para o prefeito Zé Martins, os trabalhos serão iniciados logo a estiagem, já que para pavimentar, a chuva atrapalha os serviços. “A pavimentação asfáltica de povoados como Paricatiua e Barroso é fruto de uma luta árdua de nossa gestão. Além dessas comunidades, vamos levar dignidade aos moradores dos bairros Estiva, Cidade Nova, Bairro de Fátima e Ferro de Engomar. Para quem achou que estávamos parados, os serviços estão chegando e vão beneficiar centenas de famílias”, destacou o prefeito de Bequimão.

Para Jorge Filho, maior liderança política de Paricatiua, o sonho se tonará realidade graças ao esforço e luta do prefeito Zé Martins, que sempre olhou para os moradores de Paricatiua desde o início de sua gestão.

As máquinas para iniciar os serviços já chegaram em Bequimão desde a semana passada, apenas aguardam o período chuvoso cessar, já que o primeiro trabalho a ser iniciado será o serviço de terraplanagem.

 

Anúncios
por A Tribuna de Bequimão

Bequimão e o legado de Juca Martins

Por Flávio Braga – No dia 19 de junho de 2019, o município de Bequimão irá comemorar os seus 84 anos de emancipação política. Como acontece desde 2013, a Prefeitura Municipal preparou uma vasta programação para a comunidade festejar essa data especial, com a realização de torneios, atos religiosos, queima de fogos,desfiles, partilha de bolo, cavalgada, maratona, corrida ciclística, gincana, danças juninas etc.

Da obra “Tapuitininga”, do bequimãoense Domingos Pereira, colhe-se que o território do município de Bequimão foi delimitado no período colonial com a criação da freguesia de Santo Antônio e Almas, em 7 de novembro de 1805, desmembrada da freguesia do Apóstolo São Matias (Alcântara).

Hodiernamente, a população tem muitos motivos para comemorar o aniversário do seu município, visto que a administração do prefeito Zé Martins proporcionou avanços administrativos e sociais nunca antes alcançados em Bequimão. Com efeito, a Baixada se orgulha de contar com um dos melhores prefeitos do Maranhão.

O maior líder político da história de Bequimão foi o Dr. João Batista Cantanhede Martins (Juca Martins), pai do prefeito Zé Martins, e falecido em 18 de agosto de 2017, aos 79 anos, após dedicar-se por mais de 50 anos à vida pública do município de Bequimão.

Como prefeito arrojado e empreendedor, Juca Martins deixou um legado de muitas obras estruturantes: edificação das primeiras escolas da zona rural; instalação do célebre Ginásio Bandeirante; construção do Cais do Porto, da Praça Santo Antônio e da Praça da Bíblia; calçamento das principais ruas e avenidas; asfaltamento da entrada da cidade e da principal rua de acesso; construção de postos de saúde; eletrificação rural em vários povoados; construção de barragens; estruturação do bairro Cidade Nova, hoje o maior de Bequimão etc.

Juca Martins deixou sua marca indelével como homem de convicções firmes e princípios morais reconhecidos por aliados e adversários, pessoa de reputação ilibada, político sempre coerente com o seu ideário e gestor laborioso, em constante busca por benefícios e melhorias para a sua gente e o seu município. Guerreiro que nunca se abateu diante das adversidades e que dispôs de ânimo para, aos 60 anos, conquistar e frequentar um curso superior.

Assim, em 1999, Juca Martins graduou-se como Bacharel em Direito, surpreendendo todos pela bravura de voltar a estudar mesmo em idade mais avançada. E foi aprovado em seu primeiro exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Deputado Zé Inácio manda recado a Flávio Dino

A insatisfação do deputado estadual Zé Inácio (PT), com secretários do governo Flávio Dino é nítida ao criticá-los em sua página na rede social. O Petista usou sua conta no Twítter e fez duras críticas ao governo do Maranhão.

Inácio mostrou sua mensagem, indignação por não ter sido convidado para participar da entrega de uma máquina motoniveladora do Programa Caminhos da Produção. Zé Inácio foi responsável por fazer uma indicação que contemplou a cidade de Santa Luzia.

De acordo com o deputado petista, a articulação política do Governo do Maranhão falha ao não convidar os deputados estaduais para as cerimônias de entrega, já que isso só foi possível graças ao empréstimo aprovado na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Para o parlamentar, o governo tem péssima articulação política e acaba colocando seus aliados para escanteio.

por A Tribuna de Bequimão

Artigo de João Damasceno: São João Batista e sua herança indígena…

Escrevo este modesto artigo na intenção de render homenagem à cidade de São João Batista pela passagem dos seus 61 anos de emancipação político-administrativa. E o faço a partir de uma perspectiva de pesquisador sobre a etnologia indígena e com o compromisso de contribuir minimamente, em um determinado aspecto, com a história da nossa querida cidade.

Antes de receber o nome de batismo do santo do carneirinho, o distrito de São João era conhecido pelo nomeIbipeaura, cujo toponômio é procedente da língua tupi guarani que provavelmente seria grafada Ibiperewá (ibi = terra, chão + perewá = ferida), literalmente: terra ferida. Esse nome indígena nos remete a diversas reflexões quanto às nossas origens advindas dos primeiros habitantes do Brasil. Fato que, infelizmente, foi sendo apagado da nossa história e memória.

Essa ocultação e invisibilidade da nossa origem indígena foi, na verdade, algo arquitetado e executado em todo o Brasil, desde o período colonial, até o atual sistema republicano. Pois, para afirmar-se enquanto nação, a matriz indígena não serviria como referência por estar associada a algo “atrasado”, ao “não civilizado”, ideias estas baseadas numa visão etnocêntrica e preconceituosa a respeito das culturas diferentes dos colonizadores europeus.

Deixando, por enquanto, de lado esse debate, voltemos ao significado do primeiro nome de nossa cidade, enquanto ainda era um território pertencente ao município de São Vicente de Férrer (até 1958). Consultando diversos linguistas e dicionários, chego à conclusão que esse nome tupi, Ibiperewá, tem a ver com o fato de que no período da estiagem, os nossos campos se tornam áridos ao ponto de surgirem rachaduras no solo, os torrões. Dando a impressão de estarmos, literalmente, pisando em um chão ou uma terra ferida.

Muito embora esse nome não tenha prosperado, conforme atesta o ilustre conterrâneo Luiz Figueiredo, em seu livroSão João Batista: suas lutas conquistas e vitórias (2010), o nosso município possui uma forte influência cultural indígena, aliás, como toda a região da baixada maranhense.

A presença dessa matriz étnica manifesta-se nos hábitos cotidianos dos habitantes dessa região, tais como: dormir em redes; conversar de cócoras; o banho frequente; a roça de coivara; a cultura da mandioca; a crença em entidades sobrenaturais (currupira, curacanga, mãe d’água); as diversas armadilhas e técnicas de pesca, somente para citar algumas dessas influências. Sobre estas especificidades culturais do baixadeiro, retomarei a abordagem em outro momento.

São João Batista possui ainda diversos povoados que confirmam, através de seus nomes, a origem dessa matriz étnica e a manutenção desses nomes deve servir de orgulho a todos nós. Pois, preservá-los, significa não apagar da nossa memória a herança ancestral de povos que tanto contribuíram e contribuem para a formação da cultura brasileira. Somente a título de curiosidade e informação, pesquisei alguns nomes dessas comunidades e seus significados:

Capim Açu – capim  grande.

Coroatá – Um tipo de planta.

Buraçanga é uma palavra tupi guarani que significa: porrete, cacete, bengala.

Iguaratuba (Ilha de) – local onde há abundância de guará ou garças.

Jabutituba – local onde há abundância de jabuti.

Jurupari – ser pertencente à mitologia e cosmovisão indígena.

Janduaba – Nome de uma espécie de arara.

Manival – Nome comum da mandioca. Rama da mandioca ou parte da rama destinada ao plantio.

Pirapendiba – local onde há abundância de peixes.

Quiriri – Silencioso; calado.

Sarnambi – tipo de molusco.

Tabaréu – morador da aldeia.

Tauá – Argila amarela empregada para colorir a louça de barro.

Urucu – planta que se faz um pó vermelho usado como corante.

Ubá – canoa feita de um tronco de árvore.

Concluo informando que este breve levantamento foi feito a partir de uma pesquisa bibliográfica. No entanto, acredito que a pesquisa in loco, nas conversas com moradores mais antigos, revelarão diferentes significados, cujo exercício seria instigante para ser realizado por estudantes dessas localidades.

João Damasceno Figueiredo Jr. –  Antropólogo, natural de São João Batista; Graduado em Ciências Sociais (UFMA) e Mestre em Cartografia Social e Política da Amazônia (UEMA); Coordenador do Setor de Etnologia do Centro de Pesquisa de Arqueologia do Maranhão.

por A Tribuna de Bequimão

Conselho Municipal de Turismo de Bequimão-MA realiza segunda reunião

Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) de Bequimão realizou nesta segunda-feira (10), a segunda reunião do para apresentar e debater o Programa de Regionalização e o Mapa do Turismo Brasileiro. Programa que orienta a atuação do Ministério do Turismo no desenvolvimento de políticas públicas com foco na gestão, estruturação e promoção do turismo.

É por meio do Mapa de Turismo que o Ministério idealiza e executa projetos e ações em prol do desenvolvimento do turismo no país. E para integrar o mapa do turismo brasileiro é necessária a existência de um conselho municipal de turismo, que se configura em uma ferramenta de aproximação entre a gestão pública, trade turístico e a comunidade, por meio de um sistema de governança.

O Comtur de Bequimão é vinculado a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo (Sematur), Órgão responsável pelo turismo no âmbito da Prefeitura de Bequimão. É composto por 13 (treze) membros titulares e suplentes respectivamente, formado por representantes governamentais e não governamentais ligados ao turismo.

por A Tribuna de Bequimão

Prefeito Zé Martins inaugura Mercado Municipal em Bequimão e entrega aos feirantes

O mês de junho historicamente está marcado na vida dos Bequimãoenses. Em 19 de junho de 1935 aconteceu a emancipação política do município, que este ano completará 84 anos. Foi justamente dia 11 de  junho de 1938 que nascia Juca Martins, o maior líder político que Bequimão já viu. Neste domingo, dia 09 de junho, mais uma vez o mês do São João entrou para a história de Bequimão com a inauguração do tão sonhado Mercado Público Municipal, obra que teve recursos da Caixa Econômica Federal através de uma emenda parlamentar do ex-deputado federal, Sarney Filho, conseguida por Zé Martins ainda na gestão do prefeito à época, Juca Martins.

Com 17 box externos laterais e 16 internos laterais, o Mercado Público Municipal, que no projeto foi batizado de Centro de Abastecimento da Agricultura Familiar (CAAF), por ser especificamente destinado a quem planta, cria e produz, possui 16 box centrais para comercialização de frutas, verduras e legumes. No Mercado Municipal serão comercializados frangos, carne bovina, caprino e suína, vísceras, peixes da psicultura local. Para comercialização de pescado vindo do litoral,  a Prefeitura de Bequimão construiu na parte externa um pátio com espaço para abrigar vários vendedores. O Mercado Municipal ainda dispõe de sala de administração, 2 banheiros (masculino e feminino), galeria interna para escoamento de água, além de um sistema elétrico todo novo.

Durante a inauguração, o prefeito Zé Martins destacou a responsabilidade da gestão com o dinheiro público e pediu desculpas aos bequimãoenses pela demora na inauguração, já que nem tudo dependia da Prefeitura de Bequimão. “Fomos cobrados, denunciados e muitas vezes achincalhados por algumas pessoas que cobravam a inauguração deste mercado, os mesmos que inauguraram em 2012 sem a conclusão da obra e liberação da Caixa Econômica Federal, simplesmente para tentar enganar o povo. Mas Deus é justo, naquele anos ganhamos a eleição e a partir de 2013 após assumir a gestão, fui em busca dos resultados da obra deste mercado e descobrir que a inauguração foi feita apenas para tentar ludibriar o povo e a Caixa Econômica não havia liberado. E o mais grave que haviam dado os box para os maiores comerciantes de Bequimão, ao invés de ser quem realmente planta, cria e precisa de um local para vender. Fui perseguido porque não aceitei esse tipo de manobra e hoje estou entregando um Mercado Municipal pronto para atender nosso povo e fico feliz em saber que as pessoas que vão trabalhar aqui, realmente são as que precisavam de um local digno para desenvolver suas atividades”, destacou Zé Martins, mostrando que trabalho sério se faz com responsabilidade.

Para um dos feirantes, que vai trabalhar com açougue (carne bovina), Timóteo Pereira, o momento é de felicidade para todos. “A gente esperava por este local há muito tempo e graças a Deus o sonho está se tornando realidade. O prefeito Zé Martins está de parabéns, não só por mim, mas por todos que vão trabalhar aqui dentro da feira”, destacou o açougueiro. 

É válido lembrar que grande parte dos feirantes, principalmente os açougueiros, pagavam de R$800,00 a R$1.000,00 de aluguel mensal e agora vão está livre desse aluguel, que será apenas lucro para quem trabalha e ajuda desenvolver a economia de Bequimão.

O analista técnico do Sebrae-MA, João Martins, participou da inauguração e destacou o empenho do prefeito e sua equipe para que o Mercado Municipal pudesse ser entregue ao povo. “Esta obra é um equipamento importante para o município de Bequimão, tanto para o desenvolvimento econômico, quanto para a saúde pública, já que os feirantes vão vender produtos de qualidade e inspecionados. É um equipamento importante para os consumidores e fundamental no que diz respeito a higiene, saúde pública, já que serão comercializados produtos fiscalizados, tanto na limpeza, quanto nos valores comercializados. Preciso destacar e reconhecer o comprometimento e a responsabilidade do prefeito Zé Martins, e logicamente sua equipe de secretários, tendo à frente deste patrimônio público, o secretário Ademar Costa, que junto com Creuber chamou a responsabilidade que que esta obra pudesse ser entregue neste dia. Os benefícios não serão apenas para os permissionários (feirantes), mas também para quem vai comprar seus alimentos aqui. É um espaço plural, sem cores partidárias, mas um espaço que mostra que gestão pública se faz com responsabilidade, comprometimento e principalmente com respeito à população”, destacou João Martins.

No final da inauguração o prefeito Zé Martins destacou a felicidade em está entregando mais uma grande obra ao povo de Bequimão. “Deus sabe o que faz, desde a gestão do saudoso Juca Martins a gente vem lutando para construir um Mercado Municipal deste porte. Conseguimos a emenda com o deputado federal Sarney Filho, trabalhamos no projeto e hoje estamos entregando esta obra. Em 2008 eu perdi a eleição, mas não me desesperei. Em 2012 ganhamos, o povo nos confiou seu voto e desde então estamos trabalhando para melhorar a vida de nosso povo. Deus é justo, o projeto deste mercado eu conheço como a palma de minha mão e Deus quis que eu fosse a pessoa certa para inaugurar o Mercado Municipal. Enquanto alguns ficam me criticando, eu permaneço trabalhando em pro da população. Sei de minha responsabilidade e do compromisso com o povo”, destacou o prefeito, que se emocionou ao falar do ex-prefeito Juca Martins, um dos maiores incentivador na construção de um Mercado Municipal em Bequimão. 

Além da permissão para trabalhar no Mercado Municipal, cada feirante recebeu um avental padrão doado pela Prefeitura de Bequimão e entregue pelo prefeito Zé Martins. Os feirantes irão trabalhar uniformizados.

Estiveram presentes os secretários José Orlando Ferreira (Administração), Ademar Costa (Indústria e Comercio), Creuber Pereira (Agricultura), Kell Pereira (Esporte e Juventude), Sidney Bouéres (Saúde), além do vice-prefeito Magal, os vereadores Amarildo Paixão, Valmir Costa (presidente), Vetinho Belo, Professor Zeca, Vadico do Areal, Raquel Paixão, Preta de Barbosa, além de João Martins (Analista Técnico do Sebrae-MA), Bruno Soeiro (representando Graça Fernandes do Sebrae-MA, Regional Pinheiro), e lideranças comunitárias e políticas, feirantes e população em geral.

Fotos: Rodrigo Martins

 

 

 

 

 

 

 

 

por A Tribuna de Bequimão

Autocrítica. Por: Adriano Sarney

Políticos não fazem autocrítica pois pensam dar munição aos adversários. No entanto, como presidente estadual do PV, partido que obteve, entre os candidatos a senadores, deputados federais e estaduais, mais de 1 milhão de votos no Maranhão nas eleições de 2018, vejo na autocrítica uma reflexão racional para prestar contas com nossos partidários, eleitores e a população em geral. Mais do que isso, também é um diagnóstico, um chamado à luta e uma forma de propor avanços.

Deveríamos ter trabalhado melhor as mídias sociais para divulgar nossas ações e nos defender. A internet potencializa as ações políticas e, principalmente, as críticas aos adversários. Ela constrói e também destrói. As mídias sociais democratizaram o alcance do agente político, mas nem tudo são flores, sua linguagem exige um aprendizado complexo e investimento financeiro. Os comunistas começaram cedo e investiram dinheiro e tempo nessa ferramenta. Apanhamos muito nas redes, mas estamos aprendendo, crescendo e nos tornando cada dia mais fortes devido ao desgaste do governo e a nossa experiência adquirida.

Nos acanhamos nas disputas dos sindicatos, associações e entidades estudantis. Por cautela ou inexperiência nunca participamos ativamente da luta dessas entidades. A participação era muito tímida. É obvio que existia uma resistência desses grupos em relação ao grupo político, uma rejeição da grande maioria deles. Porém, com a insatisfação de muitos servidores, lideranças e estudantes com o atual governo e prefeitura, vemos uma aproximação importante desses grupos.

Pecamos na defesa do legado de José Sarney. Apesar de muitos defenderem com todas as forças a biografia do meu avô, nossos adversários potencializaram a campanha de desconstrução de sua imagem que já vinha sido investida desde o governo José Reinaldo. Não fomos hábeis em deter a enxurrada difamatória. A cada dia que passa a população consegue enxergar que o maior bem de nossa sociedade é a democracia e que foi José Sarney, com toda a sua calma e sabedoria, que nos ajudou a atingir.

Faltou consenso na oposição. Em uma oposição formada por vários grupos distintos, deveríamos dialogar e nos proteger em conjunto das perseguições do governo, que são muitas. Já venho articulando com alguns grupos de oposição ao governo e prefeitura para nos fortalecermos no sentido de fazer a população ouvir a outra versão, a dos 50% dos maranhenses que hoje estão insatisfeitos com o governo Dino e dos 65% que estão insatisfeitos com a prefeitura da capital. A fiscalização por parte da oposição é o que faz a democracia viva e o que força aqueles que estão no poder a se empenhar mais.

Escrevendo essas quatro autocríticas percebo que errar é também acertar. Nunca corrigiríamos o curso se não fosse pelos erros. O importante é que continuamos trabalhando e mostrando cada vez mais atuação para a sociedade. Eu estou animado com os desafios futuros, são muitos. Afinal, a política e os acontecimentos na sociedade são como o nosso planeta, um dia chove com trovoadas noutro faz sol.

*Deputado Estadual, Economista com pós-graduação pela Université Paris (Sorbonne, França) e em Gestão pela Universidade Harvard.
Email: jadrianocs@post.harvard.edu
Twitter: @AdrianoSarney
Facebook: @adriano.sarney
Instagram: @adrianosarney

por A Tribuna de Bequimão

Profissionais da Secretaria de Saúde de Bequimão participam da Oficina de Qualificação Sobre política Estadual de saúde integral da população negra

Profissionais da Secretaria Municipal de Saúde de Bequimão, participam uma Oficina de Qualificação Sobre política Estadual de saúde integral da população negra e comunidades tradicionais de Matriz africana e Quilombo do Maranhão. O encontro aconteceu nesta quarta-feira (05) na Sede da Colônia dos Pescadores Z-38 no bairro Estiva em Bequimão.Segundo o secretário de Saúde, Sidney Bouéres, os profissionais da saúde de Bequimão foram contemplados com muita técnica e informações sobre táticas de enfrentamento a essas políticas. Durante a oficina de qualificação, a gestão do prefeito Zé Martins foi destaque por já fazer essa política de valorização às comunidades tradicionais, e as perspectivas são de mais avanços.Para o secretário Sidney Bouéres, profissional capacitado é profissional valorizando. “Mais políticas públicas para Bequimão, esse é o objetivo da gestão. Disponibilizamos os profissionais da saúde para se capacitarem ainda mais e dessa forma por em prática novas técnicas, e para buscar melhores resultados. Nossa dinâmica na secretaria é está sempre aberto a qualquer nova técnica ou implantação de tudo aquilo que for melhor para nossa cidade”, destacou Sidney Bouéres.

por A Tribuna de Bequimão

Prefeito Zé Martins reúne com feirantes e entregará Mercado Municipal neste domingo

O prefeito Zé Martins havia se comprometido em concluir a obra do Centro de Abastecimento da Agricultura Familiar (CAAF) e cumpriu com sua palavra. Nesta quinta-feira, dia 06 de junho o prefeito Zé Martins reuniu com os feirantes na Sede Administrativa da Prefeitura para a assinatura do Termo de Permissão de Uso do Mercado Municipal. Neste domingo, dia 09 de junho, o Mercado Público Municipal da Agricultura Familiar, localizado na Avenida Antônio Dino, no Centro, será entregue às 10h da manhã pelo Prefeito aos feirantes.

A obra foi construída com recursos do Governo Federal, com contrapartida da prefeitura de Bequimão e através de uma emenda parlamentar do ex-deputado federal Sarney Filho. A entrega da obra sempre foi aguardada pelos feirantes e moradores, mas faltava a Caixa Econômica Federal liberar, responsável pela verba.

Boa parte dos feirantes estão instalados na avenida Antônio Dino, em barracas ou construções improvisadas, mesmo a Prefeitura de Bequimão disponibilizando aos vendedores de alimento, o Mercado Municipal da rua Capitão Castro, na Orla Marítima da Cidade. Com a entrega do Mercado Municipal aos feirantes e à população, os trabalhadores terão a oportunidade de melhorar suas condições de trabalho e comercialização, beneficiando inclusive os consumidores com uma estrutura capaz de fomentar o desenvolvimento comercial de Bequimão.

O Mercado Municipal da Agricultura Familiar sempre foi um sonho para Bequimão, e justamente o projeto foi iniciado por Zé Martins, quando ainda era assessor do prefeito na época, Juca Martins. “Fiz o projeto, reivindicado há décadas, não somente pelos feirantes, mas pela própria população. Estamos felizes por proporcionar este benefício aos consumidores e trabalhadores de Bequimão, que terão um local digno para trabalhar e oferecer um bom serviço à população”, afirmou o prefeito Zé Martins.

Mesmo a obra sendo financiada pela Caixa Econômica Federal (e com todo recurso repassado na gestão que antecedeu o atual prefeito), Zé Martins concluiu os serviços e fará a inauguração do Mercado.  Os fiscais da Caixa Econômica estiveram no local da obra no último dia 06 de abril para fazer a última medição e assinaram a conclusão dos serviços, garantindo ao prefeito Zé Martins a liberação do Mercado para a utilização.

O Mercado Municipal será entregue aos feirantes neste domingo (09), após a assinatura do Termo de Permissão de Uso entre Prefeitura Municipal de Bequimão, representada pelo prefeito Zé Martins e feirantes. Cada feirante assinou um termo, de acordo com o tipo de alimento que irá trabalhar, como verduras, peixes, caranguejo, camarão, carne suína e bovina, legumes e etc.

 

Bequimão envia representantes para Capacitação do Selo UNICEF na cidade de Pinheiro-MA

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com o Governo do Estado e o Instituto Peabiru, realizou dias 04 e 05 de junho, em Pinheiro (MA), a segunda turma do 4º Ciclo de Capacitação do Selo UNICEF. O município de Bequimão participou sendo representado pelos secretários Dinha Pinheiro (Cultura e Igualdade Racial) e Josmael Castro (Assistência Social), além de integrantes do Conselho Tutelar e a articuladora do Selo UNICEF e presidente do Conselhos de Direito de Crianças e Adolescentes (CMDCA).

Além de Bequimão, aproximadamente 150 representantes municipais, tais como, secretários municipais de Assistência Social, articuladores locais do Selo UNICEF, representantes de Conselhos de Direito de Crianças e Adolescentes e dos Conselhos Tutelares de 45 municípios das regiões de Pinheiro, Viana, Santa Inês e Zé Doca, compareceram no auditório central da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Campus Pinheiro.

A metodologia usada incluiu trabalhos em grupo, palestras e exercícios práticos sobre estratégias para o enfrentamento e prevenção ao trabalho infantil, violência sexual, racismo, homicídios e implementação de medidas sócio-educativas em meio aberto.

Proteção no Selo UNICEF

Com uma metodologia que tem se mostrado exitosa em ampliar exponencialmente o conhecimento e a capacidade de pequenos municípios sobre os direitos da infância, foi nesta edição, de 2017 a 2020, que o Selo UNICEF incluiu os temas ligados à proteção de crianças e adolescentes, assegurados pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Nas capacitações nos quatro polos do Maranhão, são abordados os temas da oferta de serviços integrados às crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência, notificação de situações de violência e trabalho infantil, serviços de atendimento socioeducativo em meio aberto, estratégias de proteção ao direito à vida de adolescentes e contra a violência, e estratégias de promoção da igualdade racial.

Atenção especial aos mais vulneráveis 

A vulnerabilidade social de meninos e meninas está presente em diferentes formas no território nacional. Por conta da intensificação de sua gravidade, o tema se tornou prioridade para ser trabalhado pelo Selo UNICEF em todos os municípios engajados na iniciativa. No trabalho infantil, 2,5 milhões crianças e adolescentes no Brasil vivem essa realidade, segundo estudo lançado pelo UNICEF em 2018, sobre os impactos da pobreza na infância.

Selo UNICEF

O Selo UNICEF é realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em parceria com o Instituto Peabiru, contando com o apoio do Governo do Estado do Maranhão, e a parceria estratégica com Cemar, Celtins, Energisa, Neve, Amil e RGE. A certificação internacional reconhece avanços reais e positivos para a vida de crianças e adolescentes. Receber o Selo UNICEF significa que os municípios realizaram esforços, por meio de políticas públicas, para promover, proteger e garantir direitos de meninos e meninas.