Prefeitura de Bequimão promove conferência de cultura e população apresenta propostas

???????????????????????????????Uma cultura que gere desenvolvimento é o que desejam fazedores e usuários de cultura e representantes do poder público de Bequimão, município localizado a 54 km da capital maranhense. As propostas para o setor foram construídas na Conferência Municipal de Cultura, promovida pela Prefeitura de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Igualdade Racial, no sábado (03). A etapa dos municípios é preparatória para a Conferência Estadual de Cultura, que acontecerá nos dias 11 e 12 de setembro, em São Luís.

O evento é uma oportunidade para que a população pense e acompanhe a formação de políticas públicas. A conferencista Marluze do Socorro Pastor Santos, ao conduzir o debate, defendeu a elaboração e implantação de políticas culturais que possam melhorar a vida das pessoas e também gerar lucros. “Estamos pensando em uma cultura como desenvolvimento e não como enfeite”, ressaltou. Essa dimensão desenvolvimentista, segundo a conferencista, passa pela valorização daquilo que é produzido na comunidade.

Marluze sugeriu, para isso, que seja criado banco de informação sobre a diversidade de manifestações do município. “Em geral, não se sabe quais são os artistas, se existem outras artes, alguma tecnologia ou atividade criativa. Com isso, a gente acaba importando cultura dos outros estados. Temos que gostar do que é nosso”, afirmou a conferencista, ao destacar a necessidade de proteger a cultura local.  

A secretária de Cultura e Igualdade Racial de Bequimão, Dinha Pinheiro, lembrou as críticas que recebeu por não ter incluído bandas de forró na programação do último São João. A opção para a festa junina foi por priorizar as brincadeiras do município. “Demos importância para o resgate da tradição e, no final, a resposta da população foi muito boa; o povo gostou. É com esse mesmo olhar diferenciado que esperamos construir as propostas que vão sair da conferência”, frisou.

Propostas

Foram criados quatro grupos de trabalho que discutiram e apresentaram propostas sobre os eixos temáticos “Sistema de Cultura do Município”, “Diversidade”, “Sustentabilidade” e “Acesso aos recursos”.

Nas propostas que serão levadas à conferência estadual, os grupos destacaram o envolvimento maior dos jovens; a gestão da cultura independente do grupo político que está no poder; assessoria de profissionais com mais experiência; registro e resgate das manifestações das comunidades tradicionais; promoção de festivais; curso de artesanato e de inclusão digital; levantamento de territórios criativos; criação da casa da cultura; e implantação efetiva da lei que determina o ensino de história e cultura da África nas escolas públicas e privadas.

Pela quantidade de participantes, foi possível eleger três delegados. Uma vaga ficou com a secretária de Cultura e Igualdade Racial, Dinha Pinheiro (representando o poder público); e duas para representantes da sociedade civil, ocupadas Valentina Amorim Cantanhede (comunidade Ramal do Quindíua) e Carlos Alberto (comunidade de Ariquipá).

Os delegados vão defender a inclusão das propostas que saíram de Bequimão no documento que será elaborado na etapa estadual e depois na Conferência Nacional de Cultura. São propostas que ajudariam a manter vivas manifestações como o baile de caixa (terecô) da mãe de santo Nhá Ju, de 71 anos.

As festas que ela promove, sempre nos dias 24 de agosto e 30 de setembro, para pagamento de uma promessa que a fez voltar a enxergar, tornaram-se tradição no município, mas sua continuidade é ameaçada pela falta de apoio. “As festas dependem de muita despesa. Eu compro boi, porco e foguete. Se tivesse uma ajuda, seria muito bom”, reconheceu a mãe de santo, que é responsável, ainda, por um grupo de tambor de crioula e pela pajelança.

Da mesa de abertura, participou o prefeito Zé Martins, o vereador Doutor, a secretária Dinha Pinheiro e o adjunto de Cultura e Igualdade Racial, Balão. Colaborou na organização da Conferência Municipal de Cultura o secretário de Meio Ambiente, Edmilson Pinheiro.

A conferência foi encerrada com o tambor de crioula Coroa de São Benedito, do povoado Santa Rita. 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s