Cruz Vermelha Viva atende comunidades quilombolas em parceria com Prefeitura de Bequimão

Mais de 1.400 moradores das 11 comunidades quilombolas de Bequimão foram atendidos pela operação Cruz Vermelha Viva. A ação, promovida entre os dias 24 e 29 de julho, foi viabilizada pelo prefeito Zé Martins e pela secretária de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Dinha Pinheiro, que fizeram a parceria, garantindo apoio logístico, estrutural e material de uso. Esta é a segunda vez que o projeto chega ao município. A primeira edição foi em 2015.

Nos seis dias de operação, era fácil encontrar, pelo interior do município, profissionais e estudantes universitários com os coletes vermelhos e detalhes em amarelo e branco. Era o sinal de que ali estavam sendo realizadas ações sociais, com doação de mantimentos, roupas, calçados e, principalmente, atendimentos em saúde. “Tudo isso foi feito de duas maneiras: em um local de concentração, em momentos na casa de alguém da comunidade ou nas escolas; a segunda maneira foi a visita domiciliar”, explicou o assistente de Voluntariado, Pedro Oliveira.

A equipe da Estratégia Saúde da Família, da Prefeitura de Bequimão, também colaborou na ação. Em cada lugar, eram feitos testes de glicemia, aferição de pressão arterial, entrega de kits de higiene bucal, aplicação de flúor, palestras sobre a saúde da população negra, aconselhamentos de saúde e de alimentação e orientações de postura física. Ainda teve espaço para o CineCruz, com exibição de filmes nas comunidades, além de recreação e entrega de brinquedos.

Para tantos atendimentos, foram mobilizados enfermeiros e estudantes universitários das áreas de Enfermagem, Medicina, Farmácia, Odontologia, Nutrição e Educação Física. A partir dessa ação, também foi produzido um mapeamento das problemáticas  que afetam as comunidades quilombolas do município, entregue à equipe da Prefeitura de Bequimão.

“Esse diagnóstico nos ajuda muito no planejamento das estratégias que ainda precisamos implantar para garantir melhor qualidade de vida à população quilombola de Bequimão. Podemos dizer que esses 10 profissionais e estudantes vieram colaborar e fizeram história no nosso município”, avaliou a secretária municipal de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Dinha Pinheiro.

Para o prefeito Zé Martins, essas atividades que funcionam como uma espécie de mutirão dão um impulso aos atendimentos prestados no dia a dia. “Prestamos uma assistência mais sistematizada e contínua com as nossas equipes da Estratégia Saúde da Família, que atendem nossas comunidades. Mas é sempre bom ter a colaboração e um olhar de fora, para que, inclusive, possamos identificar o que precisa ser aprimorado no nosso trabalho. A Cruz Vermelha prestou um trabalho muito importe e bonito à nossa população. Queremos continuar com essa parceria”, enfatizou o prefeito.

Colaboraram com a operação Cruz Vermelha Viva, em Bequimão, as secretarias da Saúde, Administração e Transporte. O trabalho alcançou as comunidades quilombolas de Sibéria, Pericumã, Marajá, Rio Grande, Juraraitá, Ariquipá, Sassuí, Conceição, Ramal do Quindíua, Mafra e Santa Rita.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s