Após solicitação dos moradores, Prefeitura vai reestruturar cemitério na Vila do Meio

Na última terça-feira (20), o prefeito João Martins esteve no povoado Vila do Meio, a convite dos moradores, das lideranças e vereadores locais, para estudar a viabilidade de melhorias na estrutura do cemitério da comunidade. A obra é um pleito antigo dos moradores e está sendo intermediada pelos vereadores Edilson da Vila do Meio e Vadico Barbosa, ambos representantes da região, que compreende os povoados Buritirana, Marajatiua, Sumaúma, Vila do Meio, Mojó, Centro do Lopes e Chapada.

O vereador Edilson da Vila do Meio conta que a visita do prefeito João Martins foi um pedido da comunidade. “A vinda do prefeito João Martins à nossa comunidade foi solicitada pelos moradores. Nosso cemitério é pequeno e precisa ser ampliado, com máquina para realizar a terraplanagem. O prefeito João Martins se mostrou bastante sensível ao pleito dos moradores e veio pessoalmente ouvi-los, fazendo jus à gestão participativa que propôs durante a campanha. Os nossos moradores estão muito satisfeitos com a resposta imediata da Prefeitura, na resolução dessa demanda”, afirmou o parlamentar.

Durante a visita, o prefeito João Martins acordou, junto aos moradores da comunidade e seus representantes, que a Prefeitura Municipal vai melhorar a estrada que dá acesso ao cemitério; fará sua ampliação; construirá muro; e levará água e energia elétrica até o local.

“A estruturação do cemitério visa atender melhor às famílias que precisam sepultar seus entes queridos. O espaço foi construído com a ajuda do saudoso ex-prefeito Juca Martins, atendendo a um pedido do vereador Vadico Barbosa. Infelizmente, o cemitério já atingiu o seu limite de ocupação. Dar uma resposta célere à demanda dos moradores da Vila do Meio e região é uma forma de demonstrar respeito pelo nosso povo. É se preocupar até com esse momento, onde todos sofrem com a perda de um ente querido”, declarou o prefeito de Bequimão.

Também acompanharam a visita de João Martins à Vila do Meio, os moradores da comunidade; os secretários Antônio Martins (Infraestrutura e Urbanismo) e Professor Zeca (Educação); e o ex-vereador “Joaquinzinho”, que reside na região e também já representou a localidade na Câmara Municipal de Bequimão.

O cemitério
O vereador Vadico Barbosa destacou que a construção do Cemitério de Vila do Meio, em si, foi um avanço para toda a região. Ele lembra que o local onde era realizado o sepultamento dos moradores já falecidos era distante e de difícil acesso, o que tornava a perda ainda mais dolorosa.

“Como vereador da nossa região, sempre me preocupei com essa questão. Esse cemitério funcionava em uma ilha, no povoado Chapada. E, por sempre acompanhar os cortejos, senti que havia a necessidade de mudar o cemitério daquela ilha, porque era muito distante e o caminho cheio de barreiras, principalmente no inverno”, relembrou Vadico Barbosa, que já está no quinto mandato como vereador pela região do Mojó e comunidades adjacentes.

“O transporte do corpo era feito em uma canoa, onde só podiam ser levadas mais duas pessoas, enquanto as outras aguardavam do outro lado. Então, por conta disso, tomamos a iniciativa de fazer um cemitério em um outro local. A partir daquele momento, contei com a ajuda do nosso saudoso ex-prefeito Juca Martins, que sempre foi muito sensível às demandas da nossa região e nos ajudou a construí-lo. Agora, eu e o vereador Edilson fizemos o pedido ao prefeito João Martins, para que o local fosse ampliado e recebesse outras melhorias, e ele se comprometeu em nos ajudar.”

Vadico Barbosa, vereador do município de Bequimão.

Prefeitura de Bequimão anuncia melhorias na estrutura do Mercado Municipal

Por determinação do prefeito João Martins, os secretários Sidney Bouéres (Administração e Finanças) e Otoniel Gusmão (Segurança) estiveram nesta segunda-feira (26) no Mercado Municipal de Bequimão, para averiguar as condições estruturais do prédio. Na ocasião, os secretários foram recebidos pelo diretor do centro de abastecimento, Ademar Costa, e por feirantes.

De acordo com o secretário Sidney Bouéres, o espaço vai receber reparos estruturais em breve. Ainda segundo ele, a visita marcou a abertura do diálogo entre a gestão João Martins e os vendedores, que apontaram as necessidades do mercado, responsável pelo abastecimento dos milhares de lares bequimãoenses.

“A reunião foi marcada pela abertura do diálogo com os feirantes. Durante a vistoria, tivemos a oportunidade de ouvi-los. Como administração, propusemos melhorias para o funcionamento do mercado, como a realização do serviço de pintura e a manutenção da limpeza, além do apoio à classe trabalhadora”, revelou.

Bouéres anunciou ainda a suspensão temporária da taxa de manutenção paga pelos ocupantes dos boxes ao município, para a manutenção do local. Os feirantes vão ser isentos dessa cobrança por dois meses. A iniciativa do prefeito João Martins visa compensar os prejuízos provocados pela pandemia na vida dos trabalhadores.

Também foi comunicado aos feirantes que o Mercado Municipal vai ganhar mais segurança. A partir desta semana, o espaço passa a contar com a presença de guardas municipais, que vão auxiliar no disciplinamento da circulação de pessoas, para que sejam evitadas aglomerações no período de funcionamento.

Outras medidas de segurança sanitária já haviam sido adotadas anteriormente pela Prefeitura de Bequimão. Além de um túnel de desinfecção, o centro de abastecimento já contava com a desinfecção diária das partes externa e interna da estrutura. O trabalho é feito pela Vigilância Sanitária, que tem deixado o ambiente higienizado e seguro, tanto para comerciantes quanto para consumidores.

No Mercado Municipal são comercializados alimentos como frutas, verduras e carnes. A estrutura tem 33 boxes, sala de administração, banheiros, sistema de energia elétrica e rede de escoamento de água, com galeria própria.

Prefeitura de Bequimão promove atualização do CadÚnico nas comunidades quilombolas

Sessenta e duas famílias da comunidade quilombola Ramal do Quindiua tiveram dados do Cadastro Único (CadÚnico) atualizados pela Prefeitura de Bequimão, na última sexta-feira (23). A ação foi desenvolvida pela Secretaria Municipal de Assistência Social, em parceria com as Secretarias de Igualdade Racial e Cidadania e Participação Popular. O serviço de atualização dos dados do CadÚnico também vai alcançar outras localidades do município, conforme cronograma definido pela Prefeitura Municipal.

O atendimento itinerante é uma determinação do prefeito João Martins, para que os moradores dessas comunidades continuem tendo acesso garantido a benefícios como a Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE). O benefício é um desconto na conta de luz, fornecido pelo Governo Federal às famílias de baixa renda inscritas no CadÚnico ou que tenham algum membro favorecido pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o desconto é dado de acordo com o consumo mensal de cada família, que varia de 10% a 65%, até o limite de 220 kWh. As famílias que consumirem até 30 kWh tem desconto de 65% no valor da conta de luz; famílias com consumo entre 31 kWh e 100 kWh tem 40% de desconto; já aquelas com consumo entre 121 kWh e 220 kWh tem desconto de 10% no valor final da conta de energia elétrica.

O prefeito João Martins explica que a iniciativa de levar o serviço de atualização do CadÚnico até as comunidades partiu da necessidade de garantir os descontos aos moradores e também de reduzir os impactos socioeconômicos da pandemia.

“A atualização do Cadastro Único é essencial para que os moradores das nossas comunidades quilombolas continuem tendo acesso a benefícios tão importantes como a Tarifa Social de Energia Elétrica. Por isso, estamos trabalhando de forma descentralizada, de comunidade em comunidade, para garantir o direito dessas pessoas a melhores condições de vida, em meio à pandemia”, destacou o gestor.

Para solicitar o benefício, basta procurar a empresa responsável pela distribuição de energia elétrica na cidade e informar que a sua residência deve ser classificada como unidade consumidora na subclasse residencial baixa renda, prestando as seguintes informações:

  • Nome, CPF e carteira de identidade ou, na inexistência desta, outro documento de identificação oficial com foto, ou ainda, o RANI, no caso de indígenas;
  • Código da unidade consumidora a ser beneficiada;
  • Número de identificação social – NIS e/ou o Código Familiar no Cadastro Único ou o Número do Benefício – NB quando do recebimento do Benefício de Prestação Continuada – BPC;
  • E apresentar o relatório e atestado subscrito por profissional médico, somente nos casos de famílias com uso continuado de aparelhos.

Em posse dos documentos relacionados acima, a distribuidora efetuará consulta ao CadÚnico ou BPC para verificar as informações prestadas, sendo que a última atualização cadastral deve ter ocorrido em até dois anos, informa a ANEEL.

Prefeitura de Bequimão cobra pagamento dos tributos referentes à pavimentação da MA-211

A Prefeitura de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Urbanismo, divulgou nota na noite desta segunda-feira (26), esclarecendo pontos referentes à obra de pavimentação da MA-211. A rodovia estadual corta o município e, em breve, vai ligá-lo a cidades do Litoral Ocidental Maranhense, com a finalização da ponte sobre o Rio Pericumã.

Na nota, o município informa que suspendeu o embargo administrativo e autorizou, temporariamente, a Empresa de Projetos de Engenharia LTDA (EPENG) a realizar os serviços na rodovia. No entanto, estabeleceu também o prazo máximo de 20 dias para que a empreiteira regularize sua situação tributária junto à Prefeitura. 

“A administração num gesto de boa fé, discricionariamente, permitiu que a EPENG continuasse trabalhando na obra de pavimentação da Rodovia 211-MA, bem como concedeu o prazo de 20 (vinte) dias para regularização de todas as pendências relativas aos documentos e tributos devidos dessa obra”, diz a nota.

O comunicado conta, ainda, que a permissão foi dada pelo município após uma reunião com representantes da empresa, na sede da Prefeitura. Porém, houve um equívoco, por parte da EPENG, “acerca da parte conclusiva da resposta do pedido de suspensão do embargo administrativo”. 

A Prefeitura de Bequimão segue a nota, reiterando que, caso a situação tributária não seja regularizada dentro do prazo, retomará as medidas relacionadas ao embargo administrativo, que culminaram no efeito suspensivo da obra.

“Embora a empresa esteja devedora junto ao Município de Bequimão, com fulcro no princípio do interesse público e boa fé, e visando sanar por completo quaisquer dúvidas, informamos que concedemos a autorização para que a empresa EPENG continue trabalhando e, a partir desta data, 20 (vinte) dias para pagar os tributos devidos e regularizar as pendências existentes. Deixando claro que caso não haja a regularização neste período, as medidas relacionadas ao embargo serão retomadas”, conclui a nota.

Leia na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Esclarecimentos referente a Obra de pavimentação na Rodovia MA-211 via de acesso ao Rio Pericumã, executada pela EPENG – Empresa de Projetos de Engenharia LTDA.

A Prefeitura Municipal de Bequimão esclarece que:

1. No dia 14 de abril de 2021 a Secretaria Municipal de Infraestrutura de Bequimão, e a equipe de gestão tributária da Prefeitura, respondeu ao pedido de suspensão de Embargo Administrativo de Obras e Serviços solicitado pela EPENG – Empresa de Projetos de Engenharia LTDA.;

2. O citado embargo da Obra se deve ao fato de que a construtora EPENG não realizou o licenciamento, nem pagou os tributos devidos, junto a Prefeitura para iniciar aos serviços – conforme dispõe a Lei Complementar nº 03/2016- Código Tributário Municipal;

3.  Cabe esclarecer que a construtora EPENG é a mesma empresa que integra o Consórcio EPENG-FN Sondagens – que está construindo também a Ponte sobre o Rio Pericumã, e que a mesma deixou de recolher uma quantia considerável em impostos no Município de Bequimão, fato inclusive já judicializado e em processo de resolução.

4. Em reunião realizada na Prefeitura com a presença dos representantes da EPENG ficou acordado que:

4.1. A administração num gesto de boa fé, discricionariamente, permitiu que a EPENG continuasse trabalhando na obra de pavimentação da Rodovia 211-MA, bem como concedeu o prazo de 20 (vinte) dias para regularização de todas as pendências relativas aos documentos e tributos devidos dessa obra.

5. Ocorre que houve um equívoco na interpretação, por parte da EPENG, acerca da parte conclusiva da resposta do pedido de suspensão do embargo administrativo, oportunidade que reiteramos os seguintes termos que:

5.1 Embora a empresa esteja devedora junto ao Município de Bequimão, com fulcro no princípio do interesse público e boa fé, e visando sanar por completo quaisquer dúvidas, informamos que concedemos a autorização para que a empresa EPENG continue trabalhando e, a partir desta data, 20 (vinte) dias para pagar os tributos devidos e regularizar as pendências existentes. Deixando claro que caso não haja a regularização neste período, as medidas relacionadas ao embargo serão retomadas.

Prefeitura de Bequimão realiza mapeamento de ruas e avenidas que vão ser recuperadas na sede

A Prefeitura de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Urbanismo, concluiu nesta quinta-feira (22) o levantamento de ruas e avenidas que serão recuperadas pela gestão do prefeito João Martins, na sede do município.

O trabalho de mapeamento das vias em situação mais crítica, devido à chegada do período chuvoso, está sendo realizado pelo engenheiro Raul Paixão e pelo fiscal de obras do município, Murilo Martins.

Segundo Paixão, serão contempladas com o serviço as Avenidas Itapetininga e Antônio Dino e, ainda, as Ruas João Bouéres, Antônio João Martins, Presidente Vargas, Capitão José Castro, Elpídio Couto e do Cais do Porto.

O engenheiro informou que o serviço será iniciado em breve. “Essa é a determinação do prefeito João Martins. Logo logo, a nossa população vai passar a contar com vias completamente recuperadas e mais seguras para o tráfego”

Aprovado Projeto de Lei do Prefeito João Martins, que reorganiza Conselho do FUNDEB

A Câmara Municipal de Vereadores aprovou, por unanimidade, o Projeto de Lei de autoria do Poder Executivo que dispõe sobre a modificação do Conselho Municipal de Acompanhamento e Controle Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (CACS/FUNDEB). A nova configuração do conselho foi analisada e aprovada pelo Legislativo na última sexta-feira (16), dia escolhido pela presidência para a retomada presencial dos trabalhos na Casa.

De acordo com o Projeto de Lei nº 001/2021, vão compor o CACS dois representantes do Executivo, dos quais pelo menos um deve ser da Secretaria Municipal de Educação ou de um órgão educacional equivalente; um representante dos professores da educação básica pública; um representante dos diretores das escolas básicas públicas; um representante dos servidores técnico-administrativos das escolas básicas públicas; dois representantes dos pais de alunos da educação básica pública; dois representantes dos estudantes da educação básica pública, dos quais um deve ser indicado pela entidade de estudantes secundaristas; um representante do Conselho Municipal de Educação (CME); um representante do Conselho Tutelar; e dois representantes da sociedade civil.

São impedidos de integrar o Conselho do FUNDEB cônjuge e parentes consanguíneos ou afins, até terceiro grau, do prefeito, vice-prefeito e secretários municipais; tesoureiro, contador ou funcionário de empresa de assessoria ou consultoria que prestem serviços relacionados à administração ou controle interno dos recursos do Fundo; bem como cônjuges, parentes consanguíneos ou afins, até terceiro grau, desses profissionais.

No conselho, também está vedada a participação de estudantes que não sejam emancipados; de pais de alunos que exercem cargos ou funções públicas de livre nomeação e exoneração, no âmbito do Poder Executivo; e também os pais de alunos que prestam serviços terceirizados à Prefeitura Municipal, desenvolvem atividades relacionadas à educação ou ao controle social dos gastos públicos e que figurem como beneficiários de recursos fiscalizados pelo conselho ou como contratadas da administração a título oneroso.

O texto acrescenta, ainda, que os conselheiros deverão ter vínculo formal com os segmentos que representam. A condição constitui pré-requisito obrigatório para integrar o conselho. Ainda segundo o projeto aprovado, os membros titulares, indicados pelo conjunto de estabelecimentos, farão o processo eletivo organizado para escolha do presidente.

O presidente do conselho será eleito por seus pares em reunião do colegiado, sendo impedido de ocupar a função o representante do governo gestor dos recursos do FUNDEB, no âmbito municipal. Na hipótese de afastamento definitivo do presidente do Conselho do Fundeb, a presidência será ocupada pelo vice-presidente. O mandato dos membros será de quatro anos, sendo proibida a recondução aos cargos. A indicação para os mandatos posteriores ao primeiro deverá ocorrer em até vinte dias antes do término do mandato vigente, para a nomeação dos conselheiros que atuarão no mandato seguinte.

No prazo máximo de 30 dias após a instalação do conselho, deverá ser aprovado o Regimento Interno que viabilize seu funcionamento. As reuniões ordinárias serão realizadas trimestralmente, com a presença da maioria de seus membros e, extraordinariamente, quando convocadas pelo presidente ou mediante convocação por escrito de pelo menos um terço dos membros efetivos. As deliberações serão tomadas pela maioria dos membros presentes, cabendo ao presidente o voto de qualidade, nos casos em que o julgamento depender de desempate. O Conselho do Fundeb atuará com autonomia em suas decisões, sem vinculação ou subordinação institucional ao Poder Executivo Municipal.

O conselho

O Conselho Municipal de Acompanhamento e Controle Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (CACS/FUNDEB) é responsável por acompanhar e controlar a repartição; transferir e aplicar recursos do Fundo; supervisionar a realização do Censo Escolar e a elaborar a proposta orçamentária anual do Poder Executivo Municipal; examinar os registros contábeis e demonstrativos gerenciais mensais e atualizados relativos aos recursos repassados ou retidos à conta do Fundo; e emitir parecer sobre as prestações de contas dos recursos do Fundo, que deverão ser disponibilizadas mensalmente pela Prefeitura Municipal.

O conselho também tem a missão de acompanhar a aplicação dos recursos federais transferidos às contas do Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (PNATE) e do Programa de Apoio aos Sistemas de Ensino para Atendimento à Educação de Jovens e Adultos (PEJA). O grupo deve, ainda, receber e analisar as prestações de contas referentes a esses programas, formulando pareceres conclusivos acerca da aplicação desses recursos e encaminhando-os ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), entre outras atribuições que, eventualmente, sejam estabelecidas pela legislação.

Prefeitura de Bequimão amplia transparência das ações de combate à pandemia

Atendendo ao pedido do prefeito João Martins (MDB), a secretária municipal de saúde, Ramone Araújo, e a secretária adjunta, Danielle Soares, estiveram na Câmara Municipal de Vereadores de Bequimão, na última sexta-feira (16). A visita à Casa aconteceu exatamente no dia que marcou o retorno presencial das atividades parlamentares. A ida das integrantes do Comitê Municipal de Gestão da Crise Sanitária até a sede do Legislativo teve como principal objetivo informar os vereadores sobre as medidas de prevenção e combate à pandemia do novo coronavírus adotadas pela Prefeitura de Bequimão.

Durante a plenária, foram detalhados aos vereadores os números da vacinação; a quantidade de doses enviadas pelo Estado ao município; bem como os critérios para a escolha dos grupos prioritários, definidos pelo Governo do Maranhão no Plano Estadual de Vacinação. As titulares da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) também revelaram aos parlamentares que o prefeito João Martins fez um pedido ao Governo do Maranhão, para que possam ser incluídas no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19 as comunidades quilombolas ainda não certificadas pela Fundação Cultural Palmares.

As titulares da Semus informaram, ainda, que a campanha será descentralizada à medida que for disponibilizada ao município uma maior remessa de doses dos imunizantes. Quando isso acontecer, as Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) vão passar a funcionar como pontos de vacinação, evitando assim o deslocamento de pessoas que residem nas comunidades da zona rural até o Centro Municipal de Vacinação, instalado no Salão Paroquial Padre Paulo Fortim. Bequimão conta atualmente com dez equipes Estratégia Saúde da Famílias (ESF), que atuam em diferentes regiões do município onde estão instaladas as UBS’s.

Outro ponto destacado pela Semus está relacionado à vacinação de pessoas acamadas com comorbidades. De acordo com a secretária Ramone, quase todas as pessoas que fazem parte desse grupo já foram imunizadas no município. As equipes de saúde chegam até as pessoas que vivem nessas condições por meio de levantamento feito pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACS’s), responsáveis pela assistência de microáreas com, no máximo, 750 pessoas.

O vereador Carlinhos de Severaldo (PV) avaliou como positiva e inédita a iniciativa do prefeito João Martins. Segundo o vereador, a condução da crise sanitária pela gestão municipal tem sido pautada pela transparência.

“Quero parabenizar o prefeito João Martins pela sensibilidade em enviar, voluntariamente, representantes da Semus a esta Casa. Graças a essa iniciativa, todos os colegas puderam tomar conhecimento das medidas de prevenção e combate ao coronavírus adotadas pela Prefeitura de Bequimão, para proteger a vida da nossa população. Uma iniciativa que não é surpresa para ninguém, dada a seriedade e grande responsabilidade com a qual o gestor tem conduzido a crise sanitária no nosso município e também o cuidado que tem demonstrado com a vida de milhares de bequimãoenses”, destacou o vereador.

O prefeito João Martins, por sua vez, declarou que ampliar a transparência das informações no combate à pandemia significa mais do que fortalecer as relações institucionais entre o Executivo e o Legislativo; é também entender a função da Câmara, cujo papel é defender os interesses da população de Bequimão.

“Estou comprometido com um modelo de gestão participativa, na qual todos têm vez e voz. Ao ampliar o diálogo com a Câmara, estamos também inserindo os nossos vereadores, representantes legítimos do nosso povo, nesse processo de condução da crise sanitária. A presença da Semus nessa plenária de reabertura dos trabalhos legislativos serviu para que os nossos vereadores também pudessem dar a sua contribuição ao nosso município e dirimir qualquer possível dúvida acerca da gestão da crise sanitária. Quem ganha com tudo isso é a nossa população. Ganha em respeito e ganha em cuidado, em um momento tão delicado como este que estamos vivendo”, afirmou o prefeito de Bequimão.

Prefeitura e Força de Saúde ampliam vacinação nas comunidades quilombolas

A Prefeitura de Bequimão recebeu um importante reforço do Governo do Maranhão durante a Campanha de Vacinação contra a Covid-19. Desde o começo do mês, uma equipe da Força Estadual de Saúde, formada por profissionais da Unidade Regional de Saúde de Pinheiro, atua de forma conjunta com os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), na imunização dos moradores das comunidades quilombolas do município.

O reforço da vacinação foi necessário após a disponibilidade de uma remessa exclusiva para o grupo prioritário. “Com mais vacinas, cresceu também a demanda por profissionais no nosso município. A Força Estadual de Saúde tem nos ajudado muito nesse trabalho, atuando de forma conjunta com as nossas equipes. A Campanha de Vacinação contra o coronavírus foi intensificada e nós conseguimos ampliar, consideravelmente, a cobertura em nosso município”, contou a secretária Municipal de Saúde, Ramone Araújo.

Bequimão tem onze comunidades certificadas como remanescentes de quilombos pela Fundação Cultural Palmares. Para a imunização das pessoas que residem nessas comunidades, o município recebeu do Estado 1090 doses da vacina Astrazeneca, produzida pela Universidade de Oxford, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz. Todas as doses já foram aplicadas.

Mais doses e inclusão de novas comunidades no grupo prioritário

A expectativa é que novas doses destinadas às comunidades quilombolas cheguem em breve ao município. O prefeito João Martins revelou que fez o pedido ao Governo do Maranhão, solicitando também a inclusão no grupo prioritário da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 as comunidades que ainda estão em processo de certificação junto à Fundação Palmares.

“Entendemos que as demais comunidades remanescentes de quilombos do nosso município, assim como as de outros municípios, também precisam ser incluídas o mais rápido possível na Campanha de Vacinação contra a Covid-19. Não podemos retirar o direito do acesso à vacina dos moradores dessas comunidades, que têm a mesma ancestralidade, simplesmente por questões de trâmites burocráticos no processo de certificação. Os direitos dessas comunidades precisam ser assegurados. Seus moradores estão em uma situação de vulnerabilidade ainda maior e precisam ser imunizados o quanto antes. A nossa gestão reconhece e respeita a importância histórica dessas pessoas e, por esse motivo, solicitamos ao Governo do Estado que essas comunidades, ainda não certificadas, também sejam incluídas na vacinação”, informou o prefeito de Bequimão.

Prefeitura de Bequimão imuniza profissionais da educação

A Prefeitura de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, recebeu nesta segunda-feira (19) doses da vacina AstraZeneca, para imunização de profissionais ativos da educação. O lote foi entregue ao município pelo Governo do Estado, por meio da Unidade Regional de Saúde de Pinheiro.

Professores, gestores, supervisores, merendeiras, porteiros, zeladores e técnicos, com 55 anos ou mais, começaram a ser vacinados nesta terça-feira (20), no Centro Municipal de Vacinação, que está funcionando no Salão Paroquial Padre Paulo Fortim, em frente a Igreja Santo Antônio, na Praça da Matriz.

Foram destinadas a esse público 70 doses, para aplicação das 14h às 18h, por ordem de chegada. As senhas foram entregues logo cedo, mas somente 40 profissionais foram vacinados no primeiro dia de imunização. Restaram 30 doses do lote destinado aos profissionais da educação.

Para vacinar é necessário documento de identificação com foto, cartão do SUS e o último contracheque ou declaração que comprove vínculo com a escola em que o profissional da educação trabalha.

Prefeito João Martins recebe secretário de Direitos Humanos e Participação Popular

O prefeito João Martins recebeu na manhã desta segunda-feira (19) o secretário de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, na sede da Prefeitura de Bequimão. O encontro serviu para discutir os impactos socioeconômicos causados pela construção da ponte sobre o Rio Pericumã, nas comunidades quilombolas do município.

Durante a reunião, João Martins lembrou dos impactos causados pela obra na vida dos moradores das comunidades quilombolas Ramal do Quindiua, Mafra e Santa Rita. Além disso, o prefeito de Bequimão e o secretário de Estado Direitos Humanos traçaram estratégias de enfrentamento à fome durante a pandemia do coronavírus, bem como o monitoramento da vacinação contra a Covid-19.

A reunião contou com a presença do vice-prefeito de Bequimão, Sidney Nogueira (Magal), secretários municipais e demais assessores da administração pública.

Veja mais fotos: