Prefeitura de Bequimão vai realizar a Campanha de Desarmamento Infantil de 10 a 12 de abril

O evento faz parte do Plano Anual de Ações do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas) para 2018, e obedece as recomendações do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. Em Bequimão as ações são desenvolvidas em parceria com a Secretaria de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, que indica as Comunidades Quilombolas que serão contempladas, além de apoio logístico e técnico.

Alunos e professores das escolas municipais de Bequimão devem participar da Campanha de Desarmamento Infantil a partir desta terça-feira (10). Até o dia 12 de abril serão realizadas atividades de conscientização com rodas de conversa e distribuição de brinquedos para alertar sobre o perigo da apologia às armas e à violência em brincadeiras infantis, jogos e filmes. O objetivo da iniciativa é promover a cultura da paz e da resolução pacífica de conflitos, que tem como tema “Arma nem de brinquedo”.

Em um segundo momento, entre os dias 10 e 12, a Secretaria Municipal de Assistência Social, responsável direta pela ação, promoverá atividades em pontos específicos nas comunidades da zona rural, de Rio Grande, Santa Tereza e Santa Rita.

Anúncios

Secretaria de Cultura e Igualdade Racial abre campanha do desarmamento infantil

Criança brincando com arma? Para criança, não é adequado “Arma nem de Brinquedo!”. Esse alerta está sendo feito pela Prefeitura Municipal de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Secretaria Municipal de Educação e Secretaria Municipal de Assistência Social. A campanha do desarmamento infantil começou nesta quarta-feira (19), na Comunidade Quilombola de Rio Grande.

A campanha foi criada em consonância com as mobilizações do 15 de abril, Dia do Desarmamento Infantil, no Brasil. Em Bequimão, as ações seguem até 30 de novembro. Réplicas de armas de fogo ou jogos de videogame violentos, por exemplo, podem influenciar negativamente as crianças, gerando uma banalização da violência.

“Queremos debater junto com as próprias crianças, a comunidade escolar do município e as famílias sobre as consequências que o incentivo ao uso de armas de fogo por crianças podem causar na vida destes futuros adultos”, enfatizou a secretária de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Dinha Pinheiro.

Para essa campanha, a Prefeitura buscou a parceria do Conselho Tutelar, Polícia Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD) e CRAS. Durante todo o ano, serão promovidas palestras e espaços de discussão dos reais perigos a que as crianças são expostas ao utilizarem simuladores de armas de fogo. Também estão programadas atividades esportivas, artísticas e culturais, com o intuito de mostrar às crianças e jovens outras possibilidades de lazer.

“Faz quatro anos que iniciamos um trabalho efetivo de cuidado com a primeira infância aqui em Bequimão, por meio da Semana do Bebê Quilombola. Conseguimos, nesse tempo, avançar em vários indicadores sociais relacionados às crianças. Vamos estender cada vez mais esse trabalho, porque consideramos que é com investimentos à formação, desde cedo, que poderemos gerar mais oportunidades para as pessoas do nosso município”, assegurou o prefeito Zé Martins.