Bequimão: profissionais da educação participam de formação continuada em Gestão Pedagógica

Profissionais que atuam na Rede Municipal de Educação participaram, na quinta (25) e sexta-feira (26), da Formação Continuada para Gestores e Coordenadores Pedagógicos, promovida pelo Governo do Estado, por meio do programa Escola Digna, em parceria com a Prefeitura Municipal de Bequimão.

Voltado para questões relacionadas ao eixo Gestão Pedagógica, o curso foi ofertado para 55 gestores e técnicos que trabalham nas políticas educacionais do município. “Uma grande oportunidade para melhorarmos ainda mais a gestão democrática e participativa nas escolas da rede municipal”, destacou o vice-prefeito, Sidney Nogueira (Magal), que participou da abertura dos trabalhos.

Segundo o secretário municipal de Educação, Aristides Amorim, a formação continuada de professores, técnicos e gestores da área tem recebido investimentos constantes na administração do prefeito Zé Martins. “A finalidade é melhorar os indicadores educacionais do nosso município. Já conseguimos resultados mais positivos no IDEB e atribuímos isso, em grande parte, às formações que nossos profissionais têm feito”, ressaltou.

Formação continuada

A Prefeitura de Bequimão ofertou, entre 2013 e 2016, cinco cursos de formação continuada aos profissionais da educação, em parceria com instituições do Governo Federal e, ainda, pela própria equipe da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A mais longa das formações foi a que preparou os educadores bequimãoenses para o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade (PNAIC), que teve início em 2013 e terminou somente no mês de maio de 2016. Essa formação foi direcionada aos professores que trabalham com turmas do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental.

A Semed também promoveu, em 2014 e 2015, uma formação continuada para os professores da alfabetização infantil. Já os profissionais que atuam em turmas do 5º ao 9º ano participaram de uma formação direcionada ao ensino de Português, Matemática e História.

Considerando o contexto de Bequimão, em que a maior parte de sua população é negra, foram ofertados dois cursos com enfoque nas questões étnico-raciais. A primeira, em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) – Campus Maracanã, sobre Educação Escolar Quilombola. A segundo, em 2015, por meio do Plano de Ações Articuladas, do Ministério da Educação, teve enfoque na educação em comunidades quilombolas

 

IFMA inicia formação em Educação Quilombola no município de Bequimão

AlunosCom população formada por 70% de negros, segundo o IBGE, e dez comunidades já certificadas como remanescentes de quilombos pela Fundação Palmares, o município de Bequimão, localizado a 54 km de São Luís, tem o desafio de avançar em políticas educacionais que abordem e valorizem a identidade desses povos.

No último sábado (13), foi dado mais um passo nesse sentido. O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) – Campus Maracanã iniciou o Curso de Formação de Professoras e Professores em Educação Escolar Quilombola, oferecido para profissionais da educação do município e representantes de movimentos sociais do local. A Prefeitura de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Educação, é parceria desse projeto de formação continuada.

Dorival dos SantosSerão 200 horas de capacitação, com o propósito de melhorar a atuação junto aos estudantes de escolas que ficam em comunidades quilombolas e daquelas que recebem alunos de quilombos. Para o coordenador do curso, Dorival dos Santos, a discussão de temáticas étnico-raciais na escola é uma maneira de garantir direitos já conquistados, muitos deles em risco.

“Muitos estudantes negros, ao manifestarem suas práticas, são repudiados dentro da própria escola. É preciso que os profissionais da educação aceitem e dialoguem com esses alunos e com a comunidade. Neste curso, vamos construir conhecimentos que instrumentalizem essas comunidades para a resistência e para fazerem um embate diante de seus opressores”, afirmou o coordenador.

Hérliton NunesAo representar o Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indiodescendentes (Neabi) do IFMA, o professor Hérliton Rodrigues Nunes também defendeu a formação de professores como caminho para a inclusão de grupos mais oprimidos. “O Neabi está junto com a Direção Geral do Campus Maracanã colaborando no processo de qualificação docente, para que algumas coisas relacionadas à questão étnico-raciais sejam mais bem distinguidas”, destacou o professor. Ele e a professora Ana Maria Ramos ministraram a primeira disciplina às duas turmas formadas.

Maria de JesusEntre os alunos do curso estão professores, técnicos administrativos e gestores do setor educacional. Esse é o caso da secretária adjunta de Educação, Maria de Jesus Nogueira. Ela considera que uma nova realidade está surgindo em Bequimão, a partir de ações que contribuem para aprimorar o desempenho dos professores. “Já temos no nosso município cursos de graduação, cursos profissionalizantes e de formação continuada, como este. Isso vai dar um salto em termos de conhecimentos que possam melhorar nossos indicadores educacionais”, disse.

Parceria

Quando o IFMA – Campus Maracanã submeteu o projeto do Curso de Formação de Professoras e Professores em Educação Escolar Quilombola à Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), do Ministério da Educação, buscou a parceria da Prefeitura Municipal de Bequimão. As informações que os pesquisadores do IFMA já dispunham sobre a existência de comunidades quilombolas certificadas e outras reconhecidas credenciavam o município para o projeto.

Lucimeire AmorimO prefeito Antônio José Martins prontamente aceitou a parceria, encaminhando ofício à instituição. Essa trajetória foi relembrada pela diretora geral do Campus Maracanã, Lucimeire Amorim Castro, durante a aula inaugural realizada no sábado (13). “Nesse curso, vocês terão acesso a outras dimensões da educação, discutindo sobre identidade, sobre o que é ser quilombola. Queremos que essa experiência em Bequimão seja um sucesso, para que possamos levá-la a outros municípios do Maranhão”, ressaltou Lucimeire.

Também participaram da aula inaugural a representante da Coordenação de Projetos do Campus Maracanã, Conceição de Maria Teixeira Gomes, e o vereador Doutor. Em seguida, a diretora geral reuniu-se com o prefeito de Bequimão, que assegurou apoio ao curso, inclusive fornecendo almoço aos sábados, quando as aulas acontecem durante todo o dia. Até dezembro, os alunos assistirão a aulas também aos domingos pela manhã.