Festival de Cultura Quilombola de Bequimão é realizado na Comunidade Rio Grande

Pelo quarto ano consecutivo, foi realizado o Festival de Cultura Quilombola de Bequimão. O evento promovido pelo Movimento Quilombola de Bequimão (MoqBeq) e Movimento Quilombola do Maranhão (Moquibom), em parceria com o Instituto Quilombola do Maranhão (IQM) e com apoio da Prefeitura Municipal de Bequimão, aconteceu nos dias 21 e 22 de julho, na comunidade Rio Grande.

Na abertura, o prefeito Zé Martins destacou seu respeito pelo trabalho que o Movimento Quilombola tem feito em Bequimão e reforçou seu compromisso com as comunidades. O coordenador do Moqbeq, Fábio Silva, relembrou as lutas e falou do cenário político nacional, ressaltando os conflitos pela posse do território, como ocorre no quilombo Sibéria, em Bequimão.

Fábio entregou ao prefeito uma solicitação do Moqbeq pedindo que 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, fosse transformado em feriado municipal em Bequimão. Zé Martins recebeu o documento, manifestou seu apoio ao pedido e solicitou que o vereador Vadico do Areal, representante dos quilombolas na Câmara Municipal, submetesse o projeto a votação.

Também foram oferecidas três oficinas, pela manhã, sobre a temática Educação, Saúde e Território. Durante a programação rolou tambor de crioula, forró de caixa e, para encerrar, aconteceu uma seresta com a Banda Chamego e muito reggae. Para fechar o evento, foi sorteado a sede do V Festival, que acontecerá em julho de 2018. Foi eleita a Comunidade Quilombola de Sibéria

Anúncios

Escola de Formação Quilombola inicia atividades em Bequimão

No sábado (25) e domingo (26), aconteceu o 1º módulo da Escola de Formação Quilombola Negro Cosme, projeto idealizado pelo Movimento Quilombola de Bequimão (MoqBeq), com apoio da Prefeitura Municipal de Bequimão, por meio das secretarias municipais de Educação e Agricultura.

A formação promovida neste final de semana teve como tema a “História da luta pela terra no Brasil”, ministrada pelo representante da Direção Estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Jonas Borges. Com esses cursos, o MoqBeq pretende fortalecer, organizar e capacitar as lideranças quilombolas para uma atuação mais consciente e mais transformadora.

A capacitação superou as expectativas. “Esperávamos uns 30 inscritos, porém o povo veio chegando e, no 1° dia, já tínhamos 60. Isso mostra que nosso povo está em busca de conhecimento e que não é acomodado, mas sabe aproveitar a oportunidade. A maioria é jovem, o que nos deixa animados, pois sabemos da necessidade de olhar para a juventude quilombola da nossa cidade”, avaliou o assessor do MoqBeq, Fábio Silva, que trabalhou durante muitos anos como agente da Comissão Pastoral da Terra (CPT).

À frente da Coordenação Executiva do MoqBeq, estão os quilombolas Dimael, Pinininho e Francisco. Também colaboram o técnico agrícola Carlos Alberto, do Quilombo Ariquipá, e o assessor Thito Fábio.