Prefeitura de Bequimão e Secretaria de Turismo do Estado realizam reunião para fortalecer o turismo no município

Foi realizada na última quinta-feira (19) no município de Bequimão, uma reunião com a equipe da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur) para apresentar os critérios estabelecidos pelo programa de Regionalização do Ministério do Turismo e do Sistema de Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur).

O programa de Regionalização reúne ações de maneira associada e articulada de incentivo à estruturação dos Polos Turísticos, através da compreensão de gestores públicos e secretários municipais de turismo, com enfoque na criação e efetivação dos conselhos municipais, dos planos municipais de turismo, dos inventários turísticos e na formalização das instâncias de governanças regionais com objetivo de descentralizar as atividades no país. Critérios esses estabelecidos pelo Ministério do Turismo (Mtur) para o remapeamento de 2019.

A superintendente de Regionalização do Turismo no Maranhão, Glória Pinto, disse que a visita ao município, é uma forma de conscientizar os gestores, empresários e a comunidade, sobre a criação do Conselho Municipal de Turismo (Comtur) e a instância de governança. “Queremos estimular o desenvolvimento da instância de governança nos 10 polos turísticos do Maranhão, pois é uma forma de empreender no segmento turístico e estimular o turismo no estado”, destacou Glória Pinto.

Outro ponto discutido e apresentado aos gestores municipais foi o Cadastur que é um Sistema de Cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor do turismo. Executado pelo Ministério do Turismo, em parceria com os Órgãos Oficiais de Turismo nos 26 Estados do Brasil e no Distrito Federal, permite o acesso a diferentes dados sobre os prestadores de serviços turísticos cadastrados.

O Cadastro visa promover o ordenamento, a formalização e a legalização dos prestadores de serviços turísticos no Brasil, por meio do cadastro de empresas e profissionais do setor. Tem por finalidade inserir as empresas no Cadastro Nacional do Ministério do Turismo, possibilitando benefícios como acesso a financiamento, apoio em eventos, feiras e ações de incentivo à participação de programas e projetos do governo federal, entre outros.

Para Rodrigo Martins, Coordenador da Sala do Empreendedor, o cadastro garante diversas vantagens e oportunidades de negócios aos seus cadastrados e é também uma importante fonte de consulta para o turista que pretende visitar as cidades no país.

Para a secretária municipal de Meio Ambiente e Turismo de Bequimão, Keila Soares, a reunião foi bastante proveitosa com Sectur. “Precisamos nos articular e preparar nosso município para os benefícios que o turismo trará para nossa região com políticas públicas voltadas para o desenvolvimento do polo Floresta dos Guarás. Bequimão tem muitos atrativos e uma gestão sensível e atenta para trabalhar as pontecilidades do nosso município”, destacou a secretária.

Participaram da reunião os secretários municipais, Keila Soares (Meio Ambiente e Turismo), Edimilson Pinheiro (Adjunto de Meio Ambiente e Turismo), Ademar Costa (Indústria e Comércio), Sidney Bouéres (Saúde), Josmael Castro (Assistência Social) e Rodrigo Martins (Coordenador da Sala do Empreendedor), Hugo Viegas (Secretário Adjunto da Sectur), Glória Pinto (Superintendente do Programa de Regionalização no Maranhão), Thaís Guimarães (Gerente do Programa Cadastur no Maranhão) e demais técnicos da Sematur, Nhô da Colônia e Rosiney e o Agente de Desenvolvimento, Valdeci Amorim.

Fotos: Rodrigo Martins

Meio Ambiente faz Levantamento da situação da Mata de São Domingos em Bequimão (MA)

mt11No último dia 19 de dezembro foi realizada uma expedição para monitoramento e atualização da situação da Mata de São Domingos (P. A. Padre Paulo, Terras de Santana e Santa Tereza, Frederico, Carrapicho). A Secretaria de Meio Ambiente e Turismo (SEMATUR) coordenou esta atividade que contou com a participação da seguinte equipe: Sr. Nando Amorim, Presidente da Associação de Centrinho (localizada no projeto de Assentamento Padre Paulo); do Sr. Pedro Ribeiro Boaes, Assentado e sócio da Associação do Centrinho; da Secretária municipal, Keila Soares e Edmilson Pinheiro, adjunto. O primeiro trecho monitorado foi o que liga o Povoado Centrinho ao Povoado Frederico (MA-106).

A MATA DE SÃO DOMINGOS

Sobrepondo os mapas, observamos que a Mata de São Domingos, localiza-se no interior da Área de Proteção Ambiental (APA) Reentrâncias Maranhenses, criada em 1991, e que tem como órgão gestor, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA). Bequimão possui 55.804 ha de sua área dentro da APA das Reentrâncias, aqui incluíndo a Mata de São Domingos.

O monitoramento desta mata e de seu manejo é necessário dado que as áreas protegidas enfrentam contínuas ameaças e que a biodiversidade que se quer conservar é dinâmica. Em geral, esse monitoramento é uma eventual avaliação, são realizados com a finalidade de promover e melhorar a fiscalização, a preservação e verificar a situação atual de conservação. O levantamento considera desde o desenho da mata e suas conexões com os ambientes fora de seus limites, até a análise de ações de preservação.

O monitoramento da área primeiro é relativo ao uso, e segundo, à eficiência da conservação da biodiversidade. Este monitoramento inicial tem a parceria da sociedade civil, que agrega às informações e também como beneficiária direta da preservação da mata de São Domingos. Esta iniciativa busca observar os aspectos relacionados com a conservação da biodiversidade, aspectos sociais, econômicos e institucionais. Há, ainda, todos os impactos sociais, culturais e econômicos que as áreas protegidas exercem sobre as comunidades. E também, as fortes pressões que a mata vem sofrendo com a extração ilegal de madeiras e a caça predatória.

A EXPEDIÇÃO

Iniciamos a caminhada saindo das proximidades da casa do Sr. Pedro, no povoado Centrinho (às 06:00hs) e encerramos no Frederico (11:00hs). Uma caminhada exaustiva devido ao terreno acidentado, com subidas e descidas, durante todo o percurso. Durante todo o trecho as lideranças locais auxiliaram na identificação e análise das espécies da flora encontradas, e naquelas que sofrem maiores pressões por parte dos madeireiros.

CAÇA ILEGAL

Constatamos durante todo o percurso muitos locais chamados de “Espera”, que são onde os caçadores aguardam a passagem das caças. Estes crimes são enquadrados pela Lei Nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998 (Lei de Crimes Ambientais)Contra a fauna (arts. 29 a 37): São as agressões cometidas contra animais silvestres, nativos ou em rota migratória, como a caça, pesca, transporte e a comercialização sem autorização.

EXTRAÇÃO ILEGAL DE MADEIRA

Verificamos mais de 50 pontos de extração ilegal de madeiras neste primeiro trecho. Clareiras e troncos de diversas árvores fazem partem da paisagem. Notou-se também um grande número de árvores que encontram-se com furos, ocas ou galerias nos troncos que foram descartados pelos madeireiros. Todas estas violações estão enquadradas na Lei de Crime Ambientais Contra a flora (art. 38 a 53): Causar destruição ou dano a vegetação de Áreas de Preservação Permanente em qualquer estágio, ou a Unidades de Conservação. Extração, Corte, Aquisição, Venda e Exposição para fins comerciais de madeira, lenha, carvão e outros produtos de origem vegetal sem a devida autorização ou em desacordo com esta.

A SEMATUR estará sistematizando estas informações e protocolando junto ao INCRA/MA, SEMA, IBAMA e Promotoria da Comarca de Bequimão fatos destes crimes ambientais e solicitando providências para as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente ocorridas na Mata de São Domingos. Outra iniciativa será a realização de ações conjuntas com as Comunidades e Associações que residem na Zona de Entorno. A mata de São Domingos cobre os povoados Floresta, Centrinho, Juraraitá, Carrapicho, Raimundo Sul, Baiano, Formiga, Jaburu, Frederico e Barroso.

DEGRADAÇÃO E EXUBERÂNCIA

Apesar das degradações sofridas pela Mata de São Domingos (caça e derrubada da floresta), poucos foram os animais e aves observados o que nos entristeceu muito. Ao contrario o número de “esperas” foi o alarme dado. Ainda indagamos, se a pouquíssima observação da fauna se daria pelo tempo chuvoso que nos acompanhou durante toda a manhã.

A tempo que adentrávamos a Mata de São Domingos (isto, cerca de 1h:50min de caminhada) constatamos sua beleza e a riqueza ainda de sua flora: Amapás a perde de vista, Faveiras centenárias e seus troncos e copas gigantescas, Paparaubeiras, Camaçaris, Cipós de grande espessuras, etc. A Mata escurecia a cada momento pelo adensamento de arvores e suas copas frondosas e também pelo tempo chuvoso.

As imagens abaixo mostram um pouco dessa exuberância e riqueza que deve ser preservada por todos nós Bequimaõenses (Moradores, Assentados, Quilombolas, Poder Público, Escolas, Igrejas), que devemos unir forças na conservação do que ainda nos resta desse nosso Patrimônio Natural que é a Mata de São Domingos.

Por: SEMATUR/Bequimão/MA

mt4mt11mt1 mt2 mt3 mt4 mt5 mt7 mt8 mt9 mt10 mt11 mt12 mt13 mt14 mt15 mt16

 

SEMATUR e Polícia Civil dialogam e traçam estratégias para coibir crimes ambientais no Município

Secretária Keila Soares ao lado do Delegado Carlos Renato

Secretária Keila Soares ao lado do Delegado da Polícia Civil de Bequimão, Carlos Renato

A Secretária Municipal de Meio Ambiente e Turismo de Bequimão, Keila Soares, reuniu-se com o Delegado de Polícia Civil, Dr. Carlos Renato de Azevedo, na última semana de outubro, para discutir estratégias visando o combate ao crime ambiental.

A reunião serviu também como estreitamento de relações institucionais, onde foram discutidos temas como ações para educar e coibir crimes ambientais no município de Bequimão. Dentre as situações mais constantes; estão a caça ilegal, desmatamento da mata ciliar, pesca predatória, queimadas sem o devido controle e poluição por lixo em locais públicos e terrenos baldios.

Após o encontro com o Delegado, a secretária de Meio Ambiente, explicou como aconteceu a reunião, que promete formar uma parceria e combater o crime ambiental em Bequimão.

“Neste primeiro contato com o Delegado Azevedo fizemos uma conversa para delinear esta parceria em prol da lei e da sustentabilidade ambiental, nosso próximo passo é repassar ao delegado as demandas e propor um plano de trabalho para ações conjuntas com a SEMATUR e demais órgãos e autoridades municipais. O que foi plenamente aceito pelo delegado”, destacou Keila Soares, titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo (SEMATUR).

 

Por: SEMATUR/Bequimão

http://sematurbeq.blogspot.com.br

SEMATUR faz levantamento de áreas para Ecoturismo e Educação Ambiental no Rio Itapetininga

Equipe da SEMATUR e SEMPA do município de Bequimão

Equipe da SEMATUR e SEMPA do município de Bequimão em atividade no rio Itapetininga

Bequimão (MA) – Entre os dias 17 e 18 de setembro, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo de Bequimão (SEMATUR), em parceria com a Secretaria Municipal de Pesca e Aquicultura (SEMPA), iniciou os levantamentos para a construção de ações nas áreas do ecoturismo e educação ambiental na bacia do Rio Itapetininga, afluente que corta grande parte do município de Bequimão.

Nesta etapa foram mapeadas algumas áreas prioritárias considerando suas atribuições ambientais e também a questão socioambiental da população local (pescadores artesanais). Numa segunda etapa ocorrerá o diálogo direto com os moradores locais para consultá-los e ouvi-los a respeito destas possíveis ações em seu território e de sua participação direta no projeto.

Pescadores em atividade no rio Itapetininga

Pescadores em atividade no rio Itapetininga durante vistoria da Secretaria de Meio Ambiente

A proposta é de realizarmos um roteiro para o ecoturismo no Rio Itapetininga e utilizá-lo também como ferramenta na educação ambiental da rede municipal de ensino. Nesse sentido, iremos dialogar com várias secretarias municipais, entre elas, a secretaria de educação”, afirmou Keila Soares, secretária Municipal de Meio Ambiente e Turismo.

Com base nas informações, a SEMATUR irá elaborar um plano de ação para os eixos de educação ambiental e ecoturismo na bacia do Rio Itapetininga.  Este plano será posteriormente apresentado ao prefeito Zé Martins (PMDB) e a potenciais parceiros no estado do Maranhão.

MONITORAMENTO E FISCALIZAÇÃO NO RIO ITAPETININGA

Dando continuidade a parceria entre a SEMATUR e a SEMPA, foram monitoradas as áreas de utilização pela pesca predatória, observadas e anotadas onde estão distribuídas as redes, tapagens, fuzarcas, escoras, etc. Estas observações serão estratégicas para futuras fiscalizações e também para trabalho de educação ambiental, junto aos pescadores artesanais em todo litoral bequimõense.

ECOTURISMO

É um “segmento de atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar da população envolvida”.  Ecoturismo é também um segmento turístico em que a principal motivação do turista é a observação e apreciação da natureza, contribuindo para sua preservação.

TRILHA ECOLÓGICA 

É uma atividade educativa e recreativa, que envolve a incorporação de princípios do ecologismo traduzidos na prática de Educação Ambiental (aprendizagem, conscientização, e mudança de atitudes perante a natureza); na adoção de critérios de redução de impactos socioambientais.

Fotos: Sergio Rodrigo

Por: SEMATUR/Bequimão

http://sematurbeq.blogspot.com.br/

B3 B4 B5 B6 B7 B8 B9 B10 B11 B12 B13 B14 B15